12/09/13

"História de uma Borboleta"

Ontem tinha-a visto. Ficámos pelas intenções e novo encontro marcado para hoje. Subo ao pinhal. As cigarras fazem o barulho caraterístico de um dia quente de verão. Da borboleta nada. Se calhar esquecera-se do encontro marcado.

Sigo sempre tentando reparar se alguma das que esvoaçavam à minha volta era ela. De repente olho e ali a vejo olhando para mim. Sento-me a seu lado e estendo-lhe o dedo. De início colocou uma patinha a medo. Depois outra e mais outra e ficou ali comigo durante um tempo olhando o horizonte. Pouso-a de novo e sigo para descarregar as emoções daquele momento. Nunca tinha tido uma borboleta tão perto.

Aqui e ali, libélulas vão pousando de haste em haste. Regresso ao local do encontro. Ela ali continuava. Pousou perto de mim. Voltei a pegar nela e aproximei-a como a querer-lhe dar um beijo fugidio. E, por outros breves momentos, ali ficámos olhando a floresta que nos fitava abençoando esta união entre mim e a natureza.

Saio dali ciente de que estou bem comigo e, estando bem comigo, estou de bem com o mundo!

1 comentário:

M Eneida Almeida disse...

Uma história de amor linda,com a borboleta e a natureza!A natureza faz com que nos encontremos a nós próprios!Eu procuro a praia sem gente,o mar que adoro e a floresta que me dá paz!É verdade que,se estamos de bem com nós próprios, estamos de bem com o mundo!