27/02/09

O Olhar!...


  Entregam-se de corpo e alma quando fazem amor. Para eles, o momento é de paixão. Não há lençóis a tapar os corpos. Amor sem limites ou fronteiras, o Amor pelo Amor!

  Depois da paixão consumada, ela aninha-se nos seus braços enquanto um torpor lhe percorre o corpo e um pequeno estremecer dá a indicação que o sono tinha chegado, e vai lá ao fundo no adormecer, onde não há nuvens negras a tapar o azul do céu. Ele fica quedo contemplando o rosto daquela mulher que o amava.

  Enquanto ela dormitava nos seus braços, recorda o dia em que a conhecera. Saído de um casamento desfeito pensava que nunca mais se iria relacionar com alguém. Tantos anos de entrega para nada. O relacionamento já se vinha deteriorando com o tempo, mas não se apercebera disso. Para ele tudo estava bem pois nunca ouvira fosse o que fosse que desse a entender que o casamento já não existia e que tudo se resumia a breves monossílabas trocadas.

  De repente encontrara-se só. Durante uns tempos, custou-lhe a adaptar-se à nova realidade. Já não havia ninguém para partilhar a cama, para breves palavras mesmo monossilábicas, sentir a presença fugaz de quem partilhava o mesmo espaço que ele...

  ... E foi-se habituando. O tempo é a melhor cura para os males do coração e habituara-se a estar sozinho.

  Olhava pela janela do café. Gente igual a tanta gente. Debruçava o olhar sobre o jornal onde as desgraças do mundo vinham logo na primeira página para prazer mórbido de quem as procura avidamente e assim as vendas estão garantidas.

  Levanta a cabeça e vê-a. Os seus olhares se cruzam como se fosse a coisa mais natural do mundo. Mas não foi. Sentiu naquele olhar algo mais que um simples olhar. Levantou-se e dirigiu-se para a mesa onde um cheiro de mulher lhe adocica os sentidos. Pega na mão dela e junta-a às suas.

  Inicialmente sente um certo retraimento, mas aquele mesmo gesto parecia que já tinha sido feito há muito muito tempo e que, afinal, aquelas mãos já se conheciam de outras eras.

  Ele volta a olhar para aquele corpo adormecido! As mãos descansavam sobre o seu peito. Uma música suave envolve-o e, olhando para ela, diz-lhe sussurrando ao ouvido: - Gosto de ti, meu Amor!

15 comentários:

Jorge P.G disse...

Escrita sensual de bom gosto é contigo, está visto!

Parabéns, amigo.

UM GRANDE ABRAÇO DUPLO.

mena disse...

É um romantico!

MENSAGENS AO VENTO disse...

__________________________________

Que maneira mais bonita de contar uma história!

Penso que é assim mesmo...Quando as almas já se conhecem, os corpos sentem-se naturalmente atraidos.

Gostei de ler, Mario! A tempos que não escrevia...

Beijos de luz e o meu carinho!!!

_________________________________

Jorge P.G disse...

MARIUS MAGNUS ET ROMANTICUS!...

DUPLUS ABRACIUS!
Jorgius Sineirus

Fábio Pio Dias disse...

Olá Marius!
Parabéns, estou estupefacto há muinto tempo que não encontrava um blogue de enorme qualidade! Deve ser um grande Homem, pois neste pequeno pedaço, dá para ver que é um verdadeiro Cidadão do Mundo. Obrigado, por ter entrado no meu humilde blogue. Já agora que música é a que está a tocar, que voz divinal!Quem canta?

Continue e sugiro que ponha a aplicação Seguidores, seria mais fácil acompanhar-lhe!

Um forte abraço e fique bem!

Fábio Pio Dias disse...

Apesar da minha idade, cresci a ouvir "as suas músicas"o meu pai têm uma coleçção de CD´s; Lp´s e Singles, que ele considera uma religiosidade, afirma muintas vezes que têm uma fortuna em casa, inclusivé discos que se perderam com o incêndio na Valentim de Carvalho!

Abraço!

jrom disse...

Marius com curiosidade entrei no seu blog,já não sou um jovem,e só tenho de felicitá-lo,pelo seu bom gosto das imagense escrita.
Gosto do que leio e permite-me requalificar as minhas aprendizagens.
Com respeito e admiração,não deixe que conspurquem, o que mostra pureza.

Adrianna disse...

Um belo texto, com a mesma qualidade de outros com que nos brindaste noutras ocasiões.

Fiquei emocionada, em parte também porque me fez recordar momentos de amor vividos e meio adormecidos.

PARABÉNS! E muito obrigada pelas palavras que deixaste no meu canto.

mary90 disse...

Olá Marius.
Bonita história de amor.
Que bom que é estar aninhada nos braços do nosso amor e ouvi-lo dizer "gosto de ti meu amor" e, retribuir.
Sim porque amar é dar e receber!

Lembrei-me agora que foi com uma troca de olhares no machimbombo nº4 que o nosso amor começou,os olhos dizem tudo!
Um beijo.

Kim disse...

Às vezes é assim! O amor precisa de se perder para se reencontrar.
amor é sempre amor, mesmo quando muda de coração
Abraço amigo

Jorge P.G disse...

Bom Domingo de Festa!

Abusar da alegria, não da alimentação!

Um abraço.

mundo azul disse...

_________________________________


Passando para deixar um beijo e desejar uma ótima semana!


_________________________________

Jorge P.G disse...

E já lá vão dois meses desde o último encontro de olhares. Para quando outro?

Um abraço e outro para a I.

Parisiense disse...

Como sempre um texto cheio de amor, sensibilidade e muito carinho......carinho pelo que se vive, viveu ou ainda poderá viver-se......sim porque a vida só acaba um dia bem longe!!!!!!

Beijokitas

Henriqueta disse...

é uma realidade... "O tempo é a melhor cura para os males do coração" e é bonito quando se retoma o Amor... mais sentido, mais maduro, mais especial....