20/08/05

Escrevi...


 … Cartas de Amor! Cartas, onde a escrita desvanecia um pouco a distância, em que a paixão falava mais alto e, as palavras, se soltavam ao correr da pena, ao sabor do vento. Versos que se escreviam, emoções sentidas, lágrimas vertidas.

 Cartas que falam de sonhos, projectos ou simplesmente dizem… Amo-te!

Cartas amarrotadas, cartas rasgadas, o tornar a escrever; a mágoa do afastamento, da lonjura, do sentimento e da saudade. Saudade do voltar, saudade do Amor!

 Cartas com cheiros, beijos, corações e promessas. Cartas de raiva, de ciúme e de reconciliação.

 Hoje, permanecem guardadas, numeradas, atadas. Memórias escritas de um tempo em que o tempo era medido… pela demora da resposta!


 …Cartas de Amor, quem as não tem?!

Sem comentários: